Testemunho de Luís Felipe de Almeida

Sou Felipe, consagrado da comunidade de Vida Rainha da Paz. Estou atualmente na missão de Mosqueiro, Belém, Pará.

Sou natural de uma família evangélica, mas durante a minha adolescência me afastei completamente de Deus e dos valores cristãos. Foi uma época muito difícil da minha vida em que me envolvi com bebidas e drogas.

A grande virada na minha vida aconteceu quando eu conheci a comunidade Rainha da Paz. Lembro que conheci primeiramente a comunidade de vida e me aproximei dos membros. Desde então fui convidado a ter um horário diário de adoração e foi a partir da vida de oração que minha vida foi transformada. Todos os dias eu era fiel a meu horário, independente de como estivesse.

Após três anos conhecendo a Igreja e a Comunidade – posso dizer também: conhecendo a Deus e experimentando o Seu amor – surgiu no meu coração o desejo de receber o Batismo na Igreja Católica. Até aquele momento não havia despertado em mim o desejo de viver a vocação Rainha da Paz. Mas, a partir do meu Batismo, fui chamado por Deus a uma vida de santidade na comunidade de vida, só então fiz o vocacional e em 2011 ingressei na vocação.

Posso dizer que minha conversão e vocação são frutos da misericórdia de Deus que ‘se dignou olhar a minha baixeza e se encantou de minha miséria e fraqueza’. Não há melhor lugar para depositarmos nossas vidas do que nas mãos de Deus, pois só na Sua vontade encontramos uma felicidade autêntica.

Hoje sou casado com Verônica, também consagrada da Comunidade de Vida, e empreendemos uma grande e nova aventura de edificar uma família numa vida inteiramente consagrada a Deus, nos desafios dos dias atuais e na vivência da Pobreza, Obediência e Castidade. Só tenho que agradecer a Deus por minha familia e por estar na Sua vontade. Vejo a providência de Deus em cada detalhe da Vida que sonhou para mim.

Luís Felipe de Almeida

Testemunho de Emanuelle Prado

“Senhor Te encontrei, como Te deixarei? Selaste minha alma, tocaste com a tua paz meu coração e agora anseio por ti.” Começo o meu testemunho com um trecho de uma música que resume minha experiência com o Amor de Deus, depois que entrei na comunidade. Eu tinha muitas amigas, sempre fui rodeada de amigos e amigas, mas ainda me sentia só, existia um vazio em mim, que eu achava que era feliz durante o dia, mas a noite me batia a solidão, a tristeza. Minha família sempre foi unida, cresci na comunidade pois meu pai é consagrado há muitos anos, porém eu não era muito engajada, e aparentemente eu não havia motivos pra chorar, nem ficar triste, mas algo me inquietava, algo no meu coração ainda era vazio e me fazia se sentir incompleta e eu não sabia o que era. Rezava em casa, ia à missa todo domingo, e sempre pedia pra Deus me preencher, participava de grupos de oração mas não me entregava totalmente em oração, eu ia e só observava os outros rezando. Foi quando em um dia em um retiro do meu grupo de oração senti fortemente o Amor de Deus, senti algo tão grande que meus olhos choravam, meu coração pulsava forte e comecei a rezar, agradecendo a Deus por estar sentindo uma paz, por sentir tão grande Amor que transbordava em meus olhos, e me faziam enxergar aquilo que me faltava, aquilo em que eu tanto procurava e não encontrava. Hoje me sinto imensamente feliz, tive uma experiência tão grande com o Amor de Deus que o grupo de oração já não me bastava, Deus me enchia de sede de estar com Ele, e hoje graças a Deus sou pré- discípula I da comunidade Rainha da Paz e aqui eu encontrei minha alegria, minha felicidade, amigos verdadeiros e minha família que já era unida, hoje nos encontramos todos juntos servindo na comunidade e eis aí minha maior alegria e gratidão a Deus, é dizer que ” Eu e minha casa servimos ao Senhor”.
Emanuelle Prado -Discípula I da Comunidade Católica Rainha da Paz

Ser Mãe é um serviço que prestamos a Deus

Desde o começo, sentia que tinha vocação para ter muitos filhos, mas não entendia direito. Hoje eu sinto que era algo que Deus queria que eu vivesse. Era como se fosse o meu papel aqui no mundo e eu preciso vivê-lo.

Uma das primeiras coisas que Deus foi ensinando, foi quando Ele me propôs que eu não ligasse as trompas no terceiro filho. Não sabia no que ia dar; mas resolvi acreditar em Deus porque Ele vinha muito forte a mim e me convencia. Aos poucos Ele ia me explicando porque estava me conduzindo por esse caminho. Hoje descobri algo que Deus me ensinou: a maternidade é um serviço; assim como toda natureza é um serviço, a maternidade é um serviço que prestamos a Deus, que o útero não nos pertence, mas a Deus. E este útero nos é solicitado quando Ele quer e não quando nós queremos.

Uma das coisas que lamento muito é ver que as mulheres do mundo de hoje planejam os filhos quando bem entendem, quando elas e o marido desejam, totalmente independentes de Deus. Muitas vezes até, planejam e têm filhos sozinhas…

Os filhos são uma bênção de Deus que a gente experimenta na convivência familiar de conversar, de rezar juntos, de repartir as dificuldades, de um compreender o outro, de um ajudar o outro.

Eu creio que todos os filhos que tive foram planos de Deus que se realizaram na minha vida. Deus vai me ensinando a ser Mãe e a conhecer a particularidade de cada filho.

Para cada pessoa que vem ao mundo Deus tem um plano, e nós precisamos descobri-lo. Descobri o meu aos 28 anos, mais ou menos, e eu peço a Deus que me leve até o fim, que eu ajude o mundo a ver que tudo Deus criou é perfeito, não dá problema, mas quando interferimos na natureza no que Deus criou, colhemos os problemas.

É importante que cada um de nós descubra sua vocação, aquilo que Deus nos chama. Quando nós descobrimos, quando nós começamos a fazer aquilo que Deus criou para nós desde toda a eternidade, aí encontramos a felicidade e fica-se rindo o tempo todo porque sabe que, mesmo com toda dificuldade, Deus está conosco.

Tásia Maria Montenegro Santiago 

Fundadora da Comunidade Católica Rainha da Paz