Mais que lido, um Evangelho para ser vivido

O que é seguir Jesus realmente? Saber, conhecer a Bíblia é muito bom, mas não é suficiente. Pregar o Evangelho é excelente e necessário, mas ainda não é o suficiente. Ouvir frequentemente a Palavra é maravilhoso, mas não é o suficiente. Tudo isso não significa nada se não vier acompanhado da vivência, do colocar em prática o Evangelho conhecido, pregado e ouvido. Não sejam meros ouvintes da Palavra, mas praticantes já nos dizia São Tiago…

Parece simples, mas é muito desafiador! A radicalidade evangélica desafia nossos conceitos, nossa postura, nossa conduta e nossa mentalidade humana. Quer ser o primeiro? Seja o último! Quer ser servido? Seja servo de todos! Quer ganhar a sua vida? Perca-a! Ao ser caluniado, abençoe! Ame não só os amigos, mas os inimigos! Aos que te feriram, ofereça o perdão! Setenta vezes sete… sempre! Isso para citar apenas algumas situações que nos interpelam fortemente.

O Evangelho deve ser confrontado com a minha vida para perceber se trago em meu viver as suas marcas. Se conseguimos – não sem o indispensável auxílio da Graça – lutar para por em prática no nosso dia-a-dia o jeito de viver de Jesus. Ainda permanece na lembrança o aparente convite infantil de uma canção antiga que diz como devemos viver: “Amar como Jesus amou, sonhar como Jesus sonhou, pensar como Jesus pensou, viver como Jesus viveu. Sentir o que Jesus sentia, sorrir como Jesus sorria e, ao chegar ao fim do dia, sei que eu dormiria muito mais feliz”. Parece infantil, mas não é brincadeira de criança viver essa letra! É um desafio a uma vida radicalmente evangélica.

Temos que tomar cuidado para que nossa religiosidade não seja apenas aparente, feita de mero cumprimento de preceitos sem que isso nos faça mudar radicalmente nossa maneira de viver e de pensar nos moldando à mentalidade de Jesus. Viver o Evangelho nada mais é do que viver como Jesus, agir como Ele. As nossas vidas devem ser um reflexo da vida de Cristo.

Follow by Email
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube