POUCOS OS QUE PEGAM CORDA…

Alguns dias antes de partir para a missão em que estou atualmente na Ilha do Mosqueiro, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Pará, estávamos falando sobre vocação, chamado e outras coisas sobre o assunto, principalmente, sobre o chamado à comunidade de vida, coração da Obra Rainha da Paz e seguimento mais exigente no Carisma. De repente surgiu a citação das palavras de Jesus quando diz “Muitos são os chamados…” e imediatamente uma jovem respondeu: “e poucos os que pegam corda!” Essa afirmação causou um certo impacto em meu coração. Porque Jesus completou essa afirmação dizendo: “…e poucos são os escolhidos!”
Será que ser escolhido é pegar corda? Fiquei a meditar algum tempo sobre isso, e me deparei com uma nuvem de testemunhas que sob o ponto de vista daquela jovem, “pegaram corda”, pelo simples fato de terem sido escolhidas e por terem se deixado escolher pelo Senhor. Dentre essas testemunhas encontrei São Pedro, Francisco e Clara de Assis, Teresa de Ávila, Teresinha do Menino Jesus, João Paulo II, Maria Vianey, Pio de Pietrelcina, Agostinho, Catarina de Sena, Giana Mola, Teresa de Calcutá, Chiara Lubich, Bento XVI e uma multidão de homens e mulheres que escutaram um apelo dentro do seu coração para consagrarem suas vidas em favor da Igreja e em favor da salvação dos homens.
Benditas almas que escutando o chamado de Deus, não pegaram corda, mas amorosamente e decididamente disseram sim à sua vocação e eleição, mergulhando num mistério tal que foge ao entendimento e compreensão dos “sábios e inteligentes e é revelado somente aos pequeninos”. Louvo a Deus por todos os meus irmãos e filhos da Comunidade Católica Rainha da Paz, que diante do chamamento de Jesus souberam dizer sim a Ele, responsavelmente e decididamente, não pegando corda, mas na escuta da oração e adoração, puderam perceber que são capazes de corresponder ao chamado daquele que os atrai para si: Jesus Cristo!