Subir a montanha para estar mais perto de Deus

Do “deserto” das tentações ao “monte” das transfigurações para fazer a experiência da intimidade com Deus: O Papa explica assim os itinerários espirituais propostos pela liturgia do segundo domingo da quaresma.

Durante a visita realizada na manhã de 4 de março a paroquia Romana de San Giovanni Battista de La Salle, o Pontífice recorda aos fiéis que “o caminho para alcançar a glória, a estrada do amor luminoso que vence a escuridão, passa pela doação total de si, por meio do escândalo da cruz”. É por isso – explica – que o caminho da Quaresma conduz até o Gólgota, “monte do supremo sacrifício” no qual “contém a maior força de transformação do homem e da história”.

Para a comunidade de Torino – que o acolhe como uma grande família e chamam-no carinhosamente de “papai” – A Bento XVI é confiada a tarefa de trazer a boa nova de Cristo “aonde os irmãos vivem, trabalham, estudam ou simplesmente passam um momento de lazer. Missão urgente e desafiadora a luz do próximo Ano da fé, que chama a um empenho comunitário para “superar aquele ‘analfabetismo religioso’ que é um dos maiores problemas dos nossos tempos”.

O Papa também fez um convide à descoberta do Domingo como “dia de Deus e da comunidade” de viver na das celebrações eucarísticas e nas disponibilidades “de acolher cada pessoa em suas dificuldades”.

Estes temas foram destacados por Bento XVI no Angelu´s recitado na Praça de São Pedro.

Voltando ao significado da Transfiguração de Cristo, o Pontífice insiste que “Deus é luz e Jesus quer dar aos seus amigos a mais íntima experiência desta luz, que habita n’Ele”.

Além disso, todo homem precisa de uma “luz interior para superar as provações da vida” e chegar a contemplar o rosto de Jesus ”pleno de amor e de verdade”. Está aí o convite – reafirmado em particular saudação aos fiéis da França – para não terem vergonha de serem cristãos, oferecendo todos os dias ao Senhor um momento de oração, mostrando bondade e caridade para com os necessitados e renunciando a tudo o que os afasta de Deus e do próximo.