Eu não te esqueceria nunca (Is 49,15)

Imagine o que você precisaria fazer para que aquela pessoa ficasse inteiramente apaixonada por você. Por certo, você tentaria evidenciar ao máximo suas qualidades, seus pontos fortes, sua beleza, inteligência, enfim, tudo o que pudesse encantar, conquistar seria usado como “arma” para chegar até o coração da pessoa. Agora, imagine se você não precisasse fazer nada para que a outra pessoa o amasse intensamente…
É exatamente isso que vemos no trecho dessa linda passagem do livro do profeta Isaías. Deus que se declara para nós. Ele revela seu amor apaixonado por nós. E o mais interessante é que esse amor de Deus quebra todos os critérios humanos. Ele não poderia nos amar mais do que nos ama hoje. E nos perguntamos: “O que você e eu fizemos para merecer amor tão grande assim?”. Absolutamente nada! Não fomos nós que atraímos o olhar de Deus com nossa beleza, com nossas qualidades, ou porque nos achamos bonzinhos… Ele nos conhece e sabe dos nossos defeitos, pecados e fraquezas, da nossa inconstância, infidelidade e dureza de coração. Porém, ele nos ama. O que temos de verdadeiramente nosso para atrair o olhar de Deus sobre nós são os nossos pecados. O que não é nada belo! Mas o amor de Deus não está condicionado às nossas virtudes. Ele é pura gratuidade da parte do Senhor.
Quando nos depararmos com nossas inconsistências, lembremos de um Deus que nos repete: “Eu não te esqueceria nunca!”. Quando as tentações, tempestades e tribulações agitarem nossas vidas e passar pela nossa cabeça a ideia de desistir, ouça a voz Daquele que te ama em qualquer circunstância dizendo: “Eis que estás gravado na palma de minhas mãos!”. Assim é nosso Deus! Sempre amor. Em tudo, amor.
Quanto a nós, nunca estaremos sozinhos. Ele sempre estará conosco! Sempre nos amando! E esse fato não mudará nunca! Esteja como você estiver Ele é imutável e eterno em seu amor.