“PERMANECEI EM MEU AMOR”

Um fato muito comum entre nós é que sempre começamos algo com muita garra, vontade e motivação. Porém, com o passar do tempo, as coisas não nos motivam mais e acabamos por deixa-las de lado.
Quantos já começaram uma dieta com muita motivação, mas desistiram no meio do caminho. Quantos ainda começaram a caminhar e deixaram. Quantos também não conheceram Jesus em suas vidas, experimentaram do Seu amor e, depois, desistiram… Daí vem o chamado de Deus a PERMANECER. Que verbo denso de sentido esse que o Senhor usa para nos exortar a continuar com Ele. Encontrar-se com o amor de Deus é, digamos assim, fácil. E até um acontecimento prazeroso. No entanto, permanecer faz com que eu não seja o sujeito passivo nessa relação com Deus. Permanecer exige de mim esforço, luta, perseverança. Serei interpelado todos os dias a renovar meu sim e minha decisão de estar com Deus, de permanecer com Ele.
Não é um encontrar-se com Jesus e, daí pra frente, Ele me carregar sem que haja de minha parte uma decisiva participação. De modo algum. Por isso é tão importante permanecer. Só quem permanece pode dar frutos. Caso contrário, Deus terá sido apenas uma fase de nossa história. Uma fase bonita e cheia de belas lembranças, mas apenas uma fase que passou. Porém, para aqueles que permanecem, não obstante as lutas e esforços que terão que enfrentar, esses darão muitos frutos. Frutos abundantes!
Deus entrou na nossa vida para permanecer, para durar e não para ser uma fase. Portanto, é necessário adquirir essa percepção que é preciso perseverar até o fim. Continuar decididamente. Felizes os que não ficam pelo caminho! Felizes os que o tempo, as tribulações e tempestades não conseguiram derrubar. Não porque eram fortes em si mesmos, mas porque permaneceram unidos Àquele que os fortalece.

Encontro Vocacional Comunidade Vida

“Penso, logo existo”, já diria a famosa frase de certo filósofo. Mas a verdade é que “Deus pensa, logo existo”. Não há nada mais triste para alguém do que viver na mediocridade do contentar-se com o nascer-crescer-reproduzir-morrer, encerrando sua existência no profundo desconhecimento de si mesmo. Não! O homem foi pensado, feito em alta dignidade, e portador de um sonho de Deus, de uma vocação.
Esta palavra pode parecer um tanto ameaçadora: Como assim? Alguém já definiu o que eu deveria ser? E o espaço da minha liberdade? O que vou ter que perder para realizar esta tal de “vocação”? Enganados estamos se assim são os nossos pensamentos. Vocação, na verdade, é a porção de amor capaz de realizar plenamente o homem, que o faz descobrir o seu próprio lugar no Amor; e viver uma vida não como parte de um rebanho que é conduzido com ensinamentos gerais (o que não tem nenhum mal, e leva para o único fim que buscamos, que é a comunhão com Deus), mas em uma relação única, cheia de sabor, e com uma profunda e pessoal experiência de Deus. Descobrir a própria vocação, o próprio chamado, o seu lugar único no Amor, é como descobrir que se havia até aquele momento sonhado em preto-e-branco porque ainda não se sabia que poderia sonhar colorido. Deus potencializa a nossa existência; e, como nos ensina o Papa emérito Bento XVI, “Quem deixa entrar Cristo na sua vida não perde nada, nada, absolutamente nada do que faz a vida livre, bela e grande.”
E que precisamos para ouvir o chamado de Deus? Tão somente escutar o próprio coração, que por Ele já anseia! E deixar-se conduzir para os encontros que Deus mesmo promove para nos fazer descobrir a nossa vocação. E este é o tempo oportuno da escuta!
Dia 22 de setembro, no auditório da Comunidade Católica Rainha da Paz, a partir das 16 horas, Alguém espera por você! Venha participar do Encontro Vocacional da Comunidade de Vida, e entender mais desta forma específica e original de ser Igreja no tempo presente.