Adoração de Cura

A Comunidade Católica Rainha da Paz convida Você e toda a sua Família para a ADORAÇÃO DE CURA E LIBERTAÇÃO, que acontecerá todas as PRIMEIRAS TERÇAS DO MÊS, tendo início próxima Terça dia 05 de Fevereiro, às 19hs no AUDITÓRIO DA COMUNIDADE CATÓLICA RAINHA DA PAZ EM SOBRAL, momento forte onde Jesus Eucarístico em sua Divina Misericórdia realizará Curas, Milagres e Prodígios, em nossas vidas.
Venha, traga sua Família

Ah, tenho certeza que você conhece alguém que precise de Cura e Libertação, aproveita e convide ela também para juntos vivermos esse Momento de Graça.

Mais informações procure no ministério de Cura.

Maternidade, serviço prestado a Deus

Desde o começo, sentia que tinha vocação para ter muitos filhos, mas não entendia direito. Hoje eu sinto que era algo que Deus queria que eu vivesse. Era como se fosse o meu papel aqui no mundo e eu preciso vivê-lo.
Uma das primeiras coisas que Deus foi ensinando, foi quando Ele me propôs que eu não ligasse as trompas no terceiro filho. Não sabia no que ia dar; mas resolvi acreditar em Deus porque Ele vinha muito forte a mim e me convencia. Aos poucos Ele ia me explicando porque estava me conduzindo por esse caminho. Hoje descobri algo que Deus me ensinou: a maternidade é um serviço; assim como toda natureza é um serviço, a maternidade é um serviço que prestamos a Deus, que o útero não nos pertence, mas a Deus. E este útero nos é solicitado quando Ele quer e não quando nós queremos.
Uma das coisas que lamento muito é ver que as mulheres do mundo de hoje planejam os filhos quando bem entendem, quando elas e o marido desejam, totalmente independentes de Deus. Muitas vezes até, planejam e têm filhos sozinhas…
Os filhos são uma bênção de Deus que a gente experimenta na convivência familiar de conversar, de rezar juntos, de repartir as dificuldades, de um compreender o outro, de um ajudar o outro.
Eu creio que todos os filhos que tive foram planos de Deus que se realizaram na minha vida.Deus vai me ensinando a ser Mãe e a conhecer a particularidade de cada filho.
Para cada pessoa que vem ao mundo Deus tem um plano, e nós precisamos descobri-lo. Descobri o meu aos 28 anos, mais ou menos, e eu peço a Deus que me leve até o fim, que eu ajude o mundo a ver que tudo Deus criou é perfeito, não dá problema, mas quando interferimos na natureza no que Deus criou, colhemos os problemas.
É importante que cada um de nós descubra sua vocação, aquilo que Deus nos chama. Quando nós descobrimos, quando nós começamos a fazer aquilo que Deus criou para nós desde toda a eternidade, aí encontramos a felicidade e fica-se rindo o tempo todo porque sabe que, mesmo com toda dificuldade, Deus está conosco.

Tásia Maria Montenegro- Consagrada da Comunidade Rainha da Paz

Subir a montanha para estar mais perto de Deus

Do “deserto” das tentações ao “monte” das transfigurações para fazer a experiência da intimidade com Deus: O Papa explica assim os itinerários espirituais propostos pela liturgia do segundo domingo da quaresma.

Durante a visita realizada na manhã de 4 de março a paroquia Romana de San Giovanni Battista de La Salle, o Pontífice recorda aos fiéis que “o caminho para alcançar a glória, a estrada do amor luminoso que vence a escuridão, passa pela doação total de si, por meio do escândalo da cruz”. É por isso – explica – que o caminho da Quaresma conduz até o Gólgota, “monte do supremo sacrifício” no qual “contém a maior força de transformação do homem e da história”.

Para a comunidade de Torino – que o acolhe como uma grande família e chamam-no carinhosamente de “papai” – A Bento XVI é confiada a tarefa de trazer a boa nova de Cristo “aonde os irmãos vivem, trabalham, estudam ou simplesmente passam um momento de lazer. Missão urgente e desafiadora a luz do próximo Ano da fé, que chama a um empenho comunitário para “superar aquele ‘analfabetismo religioso’ que é um dos maiores problemas dos nossos tempos”.

O Papa também fez um convide à descoberta do Domingo como “dia de Deus e da comunidade” de viver na das celebrações eucarísticas e nas disponibilidades “de acolher cada pessoa em suas dificuldades”.

Estes temas foram destacados por Bento XVI no Angelu´s recitado na Praça de São Pedro.

Voltando ao significado da Transfiguração de Cristo, o Pontífice insiste que “Deus é luz e Jesus quer dar aos seus amigos a mais íntima experiência desta luz, que habita n’Ele”.

Além disso, todo homem precisa de uma “luz interior para superar as provações da vida” e chegar a contemplar o rosto de Jesus ”pleno de amor e de verdade”. Está aí o convite – reafirmado em particular saudação aos fiéis da França – para não terem vergonha de serem cristãos, oferecendo todos os dias ao Senhor um momento de oração, mostrando bondade e caridade para com os necessitados e renunciando a tudo o que os afasta de Deus e do próximo.

Fé para uma vida nova

“Nós vimos o Senhor!” Mas ele lhes respondeu: “Se eu não vir em suas mãos a marca dos cravos, se eu não enfiar o meu dedo no lugar dos cravos e não enfiar a minha mão no seu lado, não acreditarei.” (Jo 20,25).
Temos aqui a narrativa do encontro de Tomé com os outros discípulos que tinham encontrado com o Senhor Ressuscitado. Tomé não estava com eles, e ao ouvir seus amigos contar-lhes que tinham visto Jesus, não acreditou neles.
Provavelmente Tomé viveu com Jesus por três anos, viu seus milagres, ouviu suas pregações, mas estava confuso depois de tudo o que tinha visto. Jesus tinha morrido de morte vergonhosa diante de todos! Tomé estava sem esperança, sem perspectiva. Sentia-se só, derrotado, sem fé.
Já paramos para pensar sobre o que há de comum entre nós e Tomé? Tudo parece tão fácil quando decidimos seguir a Jesus. Nos primeiros anos, temos ânimo, força, alegria… Mas depois o nosso desejo de Deus parece enfraquecer. Os acontecimentos, as circunstancias nos ferem e as feridas marcam nossa história. Parece que tudo vai embora. Todo o nosso vigor, ficamos fracos na fé, sem ânimo, vazios e derrotados. Feridos os nossos pés já não suportam caminhar.
Os espinhos do mundo também haviam ferido Tomé marcando-o com a incredulidade. E nós? O que nos afasta do Cristo Ressuscitado? Quais são as nossas chagas que precisamos colocar diante de Cristo para que Ele as toque com suas mãos sagradas? São decepções? Mágoas? Medos? Vícios? Apegos? Mas é por isso mesmo que precisamos de Deus! Esse Deus que carregou com honra nossas dores. Apresente a Ele suas chagas e deixe que as Chagas do Senhor venha curar as suas.
Jesus não nos condena por nossa pouca fé, mas pede-nos que apresentemos a Ele nossas mãos com sinais de fracassos, nossos pés cansados. Jesus se compadece das suas dores. Como Cristo fez com Tomé, deseja fazer conosco: Introduzir nossa mão no seu lado, para sentirmos o seu coração pulsando, embora transpassado. Sim, que sejamos introduzidos por inteiro no coração de Cristo Vivo! Cristo nos acolhe em suas chagas para curar as nossas chagas. E a sua chaga mais íntima, a do Seu coração, é lá que Jesus quer nos introduzir. Depois que Tomé entrou na chaga do coração de Cristo, nada mais o separaria de Deus. Todos as suas fragilidades, ao invés de o afastarem de Deus, o atraíam mais ainda para junto do Senhor, pois só em Deus ele encontrava a Misericórdia de que tanto necessitava. Foi quando sentiu a força da ressurreição que Tomé exclamou explodindo de paz e felicidade: ”Meu Senhor e meu Deus!”- O incrédulo tornou-se um homem de fé! Deus conhecia suas misérias e ele conhecia a misericórdia do Senhor!
Jesus não é indiferente a nós e ao nosso sofrimento. Mas ele vem a nós como o ressuscitado que passou pela Cruz. As chagas de Cristo não nos acusam, mas nos mostram até onde ele foi por amor a nós. Ele nos ama apesar dos nossos pecados. Qual o filho que recebe mais atenção do pai? Não será o enfermo?
Deus nos chama a ter a mesma experiência que Tomé. Ele deseja tocar-nos em seu amor curador. Jesus vitorioso, vencedor do mal, da enfermidade, da dor da depressão venceu e nos comunica sua vitória. Que façamos da oração do salmista a nossa: “Estendeu a mão e agarrou-me, arrancou-me das águas profundas e livrou-me de inimigos poderosos… tirou-me e pôs-me ao largo, libertou-me porque me quer bem.” (Sl 18, 17-20).
Acreditemos Deus tudo pode mudar! E esse mesmo Deus está conosco e caminha ressuscitado, vivo, em nosso meio! Abramos bem o nosso coração, não desistamos de acreditar. A fé move céu, terra e o braço direito de Deus!

Eu não te esqueceria nunca (Is 49,15)

Imagine o que você precisaria fazer para que aquela pessoa ficasse inteiramente apaixonada por você. Por certo, você tentaria evidenciar ao máximo suas qualidades, seus pontos fortes, sua beleza, inteligência, enfim, tudo o que pudesse encantar, conquistar seria usado como “arma” para chegar até o coração da pessoa. Agora, imagine se você não precisasse fazer nada para que a outra pessoa o amasse intensamente…
É exatamente isso que vemos no trecho dessa linda passagem do livro do profeta Isaías. Deus que se declara para nós. Ele revela seu amor apaixonado por nós. E o mais interessante é que esse amor de Deus quebra todos os critérios humanos. Ele não poderia nos amar mais do que nos ama hoje. E nos perguntamos: “O que você e eu fizemos para merecer amor tão grande assim?”. Absolutamente nada! Não fomos nós que atraímos o olhar de Deus com nossa beleza, com nossas qualidades, ou porque nos achamos bonzinhos… Ele nos conhece e sabe dos nossos defeitos, pecados e fraquezas, da nossa inconstância, infidelidade e dureza de coração. Porém, ele nos ama. O que temos de verdadeiramente nosso para atrair o olhar de Deus sobre nós são os nossos pecados. O que não é nada belo! Mas o amor de Deus não está condicionado às nossas virtudes. Ele é pura gratuidade da parte do Senhor.
Quando nos depararmos com nossas inconsistências, lembremos de um Deus que nos repete: “Eu não te esqueceria nunca!”. Quando as tentações, tempestades e tribulações agitarem nossas vidas e passar pela nossa cabeça a ideia de desistir, ouça a voz Daquele que te ama em qualquer circunstância dizendo: “Eis que estás gravado na palma de minhas mãos!”. Assim é nosso Deus! Sempre amor. Em tudo, amor.
Quanto a nós, nunca estaremos sozinhos. Ele sempre estará conosco! Sempre nos amando! E esse fato não mudará nunca! Esteja como você estiver Ele é imutável e eterno em seu amor.

Merecer ou não merecer? Essa não é a questão!

Vejamos que interessante perceber o que aconteceu com aquele irmão mais velho da parábola do filho pródigo no Evangelho. As atitudes dele e como ele reagiu à volta do seu irmão para casa do pai.

A primeira atitude é que parece que ele desconhece completamente o coração misericordioso de seu pai. Ele não teve a capacidade de alegrar-se com seu irmão que voltara. Zangado, ele dizia ao pai que sempre estivera com ele e que não era como seu irmão que saíra de casa esbanjando seus bens. No entanto, esse “estar com ele” não significava comunhão, partilha de vida e intimidade com seu pai. As atitudes dele não se assemelhavam às do seu pai.

Será que nós não nos assemelhamos com esse irmão mais velho da parábola quando vemos como Deus agiu com outra pessoa, como ele demonstrou misericórdia com ela e nós, com nossa mentalidade legalista e “meritocrática”, achamos que não devia ser assim? Que a pessoa merecia mesmo era uma punição, um castigo. O irmão mais velho achava que se o outro havia pecado, merecia castigo e não festa. Enquanto ele, que nunca saíra de casa, é que mereceria reconhecimento e festa. Porém, desconhecia a gratuidade do amor misericordioso. É justamente assim que Deus nos ama. Todos queremos que Deus use de misericórdia conosco mesmo diante de nossos piores pecados, mas temos dificuldade de aceitar que Deus faça o mesmo com outros que também erram.

A ideia de que se sou “bonzinho” mereço misericórdia e se não sou “bonzinho” e erro mereço castigo, não se coaduna com o nosso Deus que é pleno em misericórdia. Era essa atitude de Jesus que os fariseus não conseguiam entender. Deus não nos ama porque merecemos! O fascinante desafio do cristianismo não é amar o que é amável, é amar o não amável. Se o filho mais velho tivesse os mesmos sentimentos de seu pai, ele, assim que soubesse que seu irmão havia chegado, correria para dentro de casa e cheio de alegria, abraçaria seu irmão. Festejaria o seu retorno.

O desafio de hoje é alegrar-se em acolher os que não merecem. Recebê-los com um abraço fraterno, ir ao encontro deles e, pondo neles anel, sandálias e roupas novas, agir como o Pai agiu conosco quando fizemos o papel do filho pródigo que voltava arrependido e foi recebido com festa.

Tupy Pontes

Consagrado da Comunidade Católica Rainha da Paz

Cerco de Jericó

Caros Irmãos, a Capela de Adoração da Comunidade Católica Rainha da Paz está vivendo o Cerco de Jericó pelas eleições no Brasil!
Convidamos você, a unir-se a nós em oração pelas eleições do Brasil!
Nestes dias será interrompido, o silêncio da capela.
O Cerco de Jericó é a oração do Santo Rosário ininterrupta, em voz alta.
Convidamos São Miguel Arcanjo para estar conosco, neste combate espiritual.
O Cerco iniciou neste sábado, dia 29, dia dos Santos Arcanjos, e terminará domingo, dia 07 de outubro, dia das eleições, às 24h.
Por uma Providência Divina, esse dia, é dia de Nossa Senhora do Rosário!
Venha Estar Conosco!
Serão 7 dias ininterruptos, com a oração do Rosário pelas eleições do Brasil.
Entre um mistério e outro, os presentes devem rezar a oração a Nossa Senhora Aparecida e as orações recomendadas pelo Santo Padre o Papa Francisco, que estarão disponíveis na Capela de Adoração.
Una-se a nós!
Rezemos para que se cumpra a Vontade de Deus nestas eleições.

COMUNICADO DA SALA DE IMPRENSA DA SANTA SÉ, DE 29 DE SETEMBRO DE 2018

O Santo Padre decidiu convocar todos os fiéis, de todo o mundo, para rezar o Santo Rosário todos os dias, durante todo o mês Mariano de Outubro; e a unidos, assim, em comunhão e em penitência, como povo de Deus, pedir à Santa Mãe de Deus e à São Miguel Arcanjo para proteger a Igreja do diabo que sempre busca nos separar de Deus.
Nos últimos dias, antes de partir para os Países Bálticos, o Santo Padre recebeu o Pe. Fréderic Fornos, S.I., diretor internacional da Rede Mundial de Oração pelo Papa, e lhe pediu que espalhasse seu apelo para todo o mundo, convidando a todos a recitar o Santo Rosário concluindo com a antiga oração “Sub TuumPraesidium” (À vossa proteção) e com a oração à São Miguel, que nos protege e nos ajuda na luta contra o mal (cf. Ap 12,7-12).
A oração – disse o pontífice há poucos dias em uma homilia em Santa Marta, citando o livro de Jó – é a arma contra o grande acusador que “percorre o mundo procurando a quem acusar”.
Só a oração pode derrotá-lo.
Os místicos russos e os grandes Santos de todas as Tradições aconselharam, nos momentos de turbulência espiritual, de proteger-se sob o manto da Santa Mãe de Deus, pronunciando a invocação “À vossa proteção”.
A invocação “À vossa proteção” reza-se assim:
À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita!”
Com esse pedido de intercessão, o Santo Padre pede a todos os fiéis de todo o mundo a rezar, para que a Santa Mãe de Deus coloque a Igreja sob o seu manto protetor: para preservá-la dos ataques do maligno, o grande acusador, e fazer-nos, ao mesmo tempo, cada vez mais conscientes das falhas, erros e abusos, cometidos no presente e no passado, e nos fazer mais comprometidos a lutar, sem hesitação, para que o mal não prevaleça.
O Santo Padre pediu também que a recitação do Santo Rosário durante o mês de Outubro se conclua com a oração escrita por Leão XIII:
”São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, contra as maldades e as ciladas do demônio; ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos; e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Assim seja”

Uma nova Política!!!

O Brasil é um país fascinante de um povo maravilhoso e religioso, tanto que nasceu a expressão Deus é brasileiro!
Estamos em meio de um processo eleitoral, talvez o mais inusitado dos últimos 30 anos!
Eu utilizo a história para nos guiar , não porque a história seja moral, mas por que ela nos explica a sequência dos acontecimentos e, se a história foi escrita por homens, ela também pode ser mudada por homens!
O último mandato presidencial de um militar terminou no dia 15 de março de 1985 com o General João Batista de Oliveira Figueiredo. Os militares passaram o poder para o presidente eleito indiretamente através de um colégio eleitoral. Tancredo Neves, que faleceu antes de posse, passou o governo para José Sarney, que governou até 1990!
O País passava por uma grave crise econômica, com uma inflação de mais de 800% ao ano e o clamor popular por eleições diretas, o movimento que ficou conhecido como DIRETAS JÁ!
Em 1990, na primeira eleição direta pelo voto popular, foi eleito Fernando Collor de Melo, conhecido como o caçador de marajás, vencendo O candidato Luis Inácio da Silva (Lula).No final de 1992, Fernando Collor foi deposto através do impeachment, levando Itamar Franco ao poder até o final de 1994.Em 1994, foi eleito o ex-ministro da fazenda de Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), vencendo o candidato Luís Inácio da Silva (PT), fato que se repetiu também em 1998!
Em 2002, Luíz Inácio da Silva (PT), venceu José Serra, e em 2006 venceu Geraldo Alckmim , ambos do PSDB.Em 2010, Dilma Rousseff (PT), venceu José Serra e, em 2014 venceu Aecio Neves, ambos do PSDB.Em 2016, Dilma sofre impeachment e assumi Michel Temer do PMDB, que governa até dezembro desse ano.Podemos observar que desde 1995 assistimos a polarização de dois partidos no poder: PT e PSDB!
Ambos apostaram sua governabilidade naquilo que chamamos de GOVERNO DE COALIZÃO, onde se conquista uma robusta base de governo, e com ela, a prática maléfica do “toma lá, dá cá”! Prática essa, que propicia o aparecimento da corrupção!
O sentimento de indignação com a corrupção é imanente, mas nos parece necessário alertar que essa corrupção não vem do topo da pirâmide para a base, e sim, no inverso, da base para O topo da pirâmide!
Não existe em nenhum país do mundo, um governo que seja corrupto e em que a população seja honesta, como também, não existe nenhum governo honesto onde a população seja corrupta.Os pontos estão interligados, o governo é o espelho da sua população!
Então olhemos para a população nesse processo eleitoral de 2018!
Qual o critério de escolha dos candidatos? Quem determina a escolha do eleitor? Quantos deputados corruptos estão recebendo votos de cristãos honestos e desavisados do risco dessa prática? Os cristãos são chamados a ser luz e sal do mundo! Não podemos mudar o mundo, mas podemos mudar o nosso mundo!

Voto de Protesto

Cuidado com este tipo de voto, pois os políticos corruptos que não tem mais votos mas Que dominam os partidos políticos, lançam mão de uma estratégia muito simples e eficaz para se elegerem. Eles contratam um palhaço e esse palhaço tira 200 mil votos.
O coeficiente eleitoral é 50 mil votos, então o palhaço elege mais 3 deputados que não se elegeriam se não houvesse os votos vindos dessa estratégia !
Ao final do processo eleitoral, eles elegem o palhaço e nos fazem de palhaços!
Voto de protesto só serve para captar voto e ajudar a alcançar o coeficiente eleitoral desses partidos corruptos!

Votar Nulo ou Branco

O voto nulo, ao contrário do que muita gente pensa, não serve para nada! “Vou protestar votando nulo ou branco!”
Desculpa te falar, não influencia em nada!
Simplesmente pelo fato de NÃO ENTRAR NAS ESTATÍSTICAS DOS VOTOS VÁLIDOS!
Voto nulo/branco nada mais é do que um ato de omissão !!!

Nos vários grupos de discussão e redes sociais que frequento sobre política, são sugeridos critérios para votar, eu escolhi os abaixo:

1.Seu candidato é acusado de alguma corrupção ?
Existem aplicativos de celular que ajudam o eleitor a se informar se o candidato responde a alguma acusação. (Por Ex: detector de corrupção; outra forma bem simples é digitar no Google: fulano dos anzóis acusado de… E espere o resultado)

2. O que o seu candidato pensa sobre Aborto, Ideologia do gênero e valorização da família cristã ?
Quando na sua cidade foi aprovado a ideologia de gênero, provavelmente você, como cristão, ficou indignado e se sentiu impotente!
Esse é o momento onde o impotente é o político!
Exclua esse candidato que pensa diferente de você do meio político, NÃO VOTANDO NELE!

3. Se o seu candidato não for eleito, ele tem risco de ser preso?
Muitos candidatos estão desesperados, pois a única coisa que os impedem de ir para a cadeia é o Foro privilegiado. Sem eleição, sem foro, logo PRISÃO!

4. Seu candidato gasta muito? Tem uma campanha milionária ?
Quem gasta milhões de reais para se eleger, não é para ajudar o próximo! É pelo poder!
Somos democratas e, por isso, defendemos a democracia e recomendamos o debate sobre política, porém, sem a polarização dos últimos 30 anos em torno só de dois partidos e uma mesma ideologia política, mais ampla e voltada para os anseios de renovação que se estendem por todo país!
Tentando simplificar o complexo, diria que: Se você está satisfeito com o andamento das coisas, vote nos mesmos tipos de candidatos e seja feliz! Só não pode depois reclamar da situação, pois quem pensa assim é CÚMPLICE de tudo que ocorre de ruim na política! Precisamos assumir a responsabilidade do “NOSSO EU” na escolha de deputados, senadores, governadores e presidente!
Para finalizar, uma última reflexão: Políticos não tem medo de Justiça, a única coisa que eles tem medo é de não ter voto!

Márcio Vieira – Consagrado da Comunidade Rainha da Paz

“PERMANECEI EM MEU AMOR”

Um fato muito comum entre nós é que sempre começamos algo com muita garra, vontade e motivação. Porém, com o passar do tempo, as coisas não nos motivam mais e acabamos por deixa-las de lado.
Quantos já começaram uma dieta com muita motivação, mas desistiram no meio do caminho. Quantos ainda começaram a caminhar e deixaram. Quantos também não conheceram Jesus em suas vidas, experimentaram do Seu amor e, depois, desistiram… Daí vem o chamado de Deus a PERMANECER. Que verbo denso de sentido esse que o Senhor usa para nos exortar a continuar com Ele. Encontrar-se com o amor de Deus é, digamos assim, fácil. E até um acontecimento prazeroso. No entanto, permanecer faz com que eu não seja o sujeito passivo nessa relação com Deus. Permanecer exige de mim esforço, luta, perseverança. Serei interpelado todos os dias a renovar meu sim e minha decisão de estar com Deus, de permanecer com Ele.
Não é um encontrar-se com Jesus e, daí pra frente, Ele me carregar sem que haja de minha parte uma decisiva participação. De modo algum. Por isso é tão importante permanecer. Só quem permanece pode dar frutos. Caso contrário, Deus terá sido apenas uma fase de nossa história. Uma fase bonita e cheia de belas lembranças, mas apenas uma fase que passou. Porém, para aqueles que permanecem, não obstante as lutas e esforços que terão que enfrentar, esses darão muitos frutos. Frutos abundantes!
Deus entrou na nossa vida para permanecer, para durar e não para ser uma fase. Portanto, é necessário adquirir essa percepção que é preciso perseverar até o fim. Continuar decididamente. Felizes os que não ficam pelo caminho! Felizes os que o tempo, as tribulações e tempestades não conseguiram derrubar. Não porque eram fortes em si mesmos, mas porque permaneceram unidos Àquele que os fortalece.

SIM COM CARA DE NÃO

“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse-lhe: – Meu filho, vai trabalhar hoje na vinha. Respondeu ele: -Não quero. Mas, em seguida, tocado de arrependimento, foi. Dirigindo-se depois ao outro, disse-lhe a mesma coisa. O filho respondeu: – Sim, pai! Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?

Quantas pessoas, tocadas pelo arrependimento depois do ‘não’ dado a Deus, retornam com ‘sim’ generoso. Quantos ‘nãos’ que se tornaram ‘sins’ e tiveram a coragem de voltar atrás… Por outro lado, quantos ‘sins’ que não se mantiveram firmes e que desistiram… Qual tem sido a resposta que você tem dado a Deus?

Se foi um ‘não’ a princípio, não se preocupe. Ainda dá para mudar! Mesmo que depois do ‘não’ você tenha se distanciado e ido para longe. Mesmo que o seu ‘não’ tenha se repetido mais de uma vez, ainda há como transformá-lo em um ‘sim’. Às vezes, acontece de pensarmos que, por estarmos nos caminhos do Senhor, ou seja, engajados na Igreja, não damos mais ‘não’ a Deus. Ledo engano! Quantos ‘nãos’ camuflados por um aparente ‘sim’. Cheios de uma empolgação momentânea e que não resistem ao crivo do tempo e das vicissitudes da vida.

Por vezes o ‘não’ faz-nos provar da dor que é não fazer a vontade do Pai, que é distanciar-se dela. Então é lindo ver muitos que fazem como Pedro quando Jesus perguntava se ele O amava. “Jesus tu sabes tudo! Conheces o meu coração! Sabes quantas vezes já te dei ‘não’… Mas estou disposto a dizer meu ‘sim’ e renová-lo a cada dia! Sabes que sou fraco, mas sabes também que é sincero o meu desejo de dar-Te minha vida!”.

Esta atitude é a de um ‘sim’ que tem tudo para resistir às provas, tempestades e tribulações. Que o nosso ‘sim’ seja, de fato, SIM!